quinta-feira, 21 de julho de 2011

Mundo da Fantasia




Mundo da Fantasia

Por quê está triste?
Pare de chora ao vento,
sai desse relento.
Não fique ai sem abrigo,
sem amigo, sem amor.
você já sabe que depois,
minas não existirá mais

Por que tens medo?
Pare de temer esse limite,
sai de c
ima desse muro.
Não fique ai nesse mundo,
sem coragem, sem vida.
Você já sabe que depois,
minas não existirá mais

Por quê esse estado?
Pare de ser duro como “José”,
sai desse rancor.
Não fique com esse orgulho,
sem alegria, sem sorriso.
Você já sabe que depois,
minas não existirá mais.

19/07/2011
Autor:
Mauro Henrique Soares Aniceto
(Minha Face Seu Retrato)
O tempo é curto para tantas distrações, ou são muitas
distrações para pouco tempo?#Minhafaceseuretrato

Me desculpe pelos erros gramaticais e de português, estou aprendo a escrever!
Obrigado e desejo que a razão sempre seja o guia da sua fé!

domingo, 20 de março de 2011

A mudança





A mudança
O encontro com o pasmo,
na passagem da viagem
do medo ao desfecho,
a rotina da virada
da ampulheta.
No carro da morte,
o encontro

com a vida.
E enfim em paz!


Mauro Henrique Soares Aniceto
(Minha Face Seu Retrato) #Minhafaceseuretrato



Esqueça os piores momentos da sua vida e faça os melhores se tornarem inesquecíveis.”

Visite meu site e conheça melhor os meus trabalhos.
Contatos:


O tempo é curto para tantas distrações, ou são muitas
distrações para pouco tempo?#Minhafaceseuretrato
Como disse Albert Einstein, “Viver é como andar de bicicleta. Para manter o equilíbrio
é preciso continuar se movendo.”.

Me desculpe pelos erros gramaticais e de português, estou aprendo a escrever!
Obrigado e desejo que a razão sempre seja o guia da sua fé!

quarta-feira, 9 de março de 2011

Sem versos













Não, não se trata disso ou aquilo, só não quero!
Não quero dividir esse momento com mais ninguém.
Sei que estou sendo egoísta, mas esse momento é nosso.
Não quero vê-lo esvaindo nesses versos.

Não, não se trata de me faltar palavras para escrever estrofes,
só não quero espalhar para o mundo o nosso momento poético.
Sei que os quatro ventos esperam novidades, mas a nossa intimidade,
essas não irei documentar em palavras.

Não, não é uma rebelião, é uma mera preservação.
O nosso amor não precisa ser relatado em poemas,
é muito mais gostoso consumi-lo na cama.
Não é sonho, é a mais pura dádiva da vida.

Não, não é uma rebelião, é a nossa comunhão.
Como disse: não quero dividir o nosso momento poético,
o nosso amor é nosso e de mais ninguém.
Só relato que te amo hoje e desde sempre.


Mauro Henrique Soares Aniceto
24/02/2011