quarta-feira, 9 de março de 2011

Sem versos













Não, não se trata disso ou aquilo, só não quero!
Não quero dividir esse momento com mais ninguém.
Sei que estou sendo egoísta, mas esse momento é nosso.
Não quero vê-lo esvaindo nesses versos.

Não, não se trata de me faltar palavras para escrever estrofes,
só não quero espalhar para o mundo o nosso momento poético.
Sei que os quatro ventos esperam novidades, mas a nossa intimidade,
essas não irei documentar em palavras.

Não, não é uma rebelião, é uma mera preservação.
O nosso amor não precisa ser relatado em poemas,
é muito mais gostoso consumi-lo na cama.
Não é sonho, é a mais pura dádiva da vida.

Não, não é uma rebelião, é a nossa comunhão.
Como disse: não quero dividir o nosso momento poético,
o nosso amor é nosso e de mais ninguém.
Só relato que te amo hoje e desde sempre.


Mauro Henrique Soares Aniceto
24/02/2011

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Lividez



Encontro-me nesse exato momento
trancafiado no quarto.
Sem nenhum sentido aparente,
porém com uma insônia implacável.

A cafeína, um gole a mais
sempre me distrai.
No universo da madrugada
sempre um dúvida insuportável.


Lá fora o grito do mundo
trancafia meu pensamento,
como se não houvesse dor
com uma vontade intocável.

Sinto-me assim em algumas noites,
sempre que lembro
daquele momento que prende a todos,
com uma impiedade lastimável.

Mauro Henrique Soares Aniceto.
2007

sábado, 16 de outubro de 2010

Quintal






Quintal
É tudo meu, pai que me deu
as terras vão além do que
a vista pode alcançar,
ganhei de presente por ter nascido,
essa linda cidade chamada “BH”.

Modelada com bastante classe
por grandes escultores,
por todo seu extenso vale, Belo Horizonte
aclama muito mais que charme e beleza.

É tudo meu, Mãe que me deu
esta anedota dos meus antepassados,
que esmera vida ímpar entre conterrâneos.
E esse presente não tem nada demais,
além de ser minha linda cidade natal.

Sua postura chega até a espantar,
assim como tua virgindade que encanta,
com teu jeitinho de mineira moça,
ela dá pena aos que a difamam.

Os muros do meu quintal
é a Serra do Curral,
que além de cerca o meu terreno,
serve de mirante para ver a alvorada
e o por do sol.

Minha herança é essa capital,
que é filha dos mineiros,
de gente boa, que adora
broa e pão de queijo.
Mauro Henrique Soares Aniceto
1
Me desculpe pelos erros gramaticais e de português, estou aprendo a escrever!
Obrigado e desejo que a razão sempre seja o guia da sua fé!
#minhafaceseuretrato