domingo, 30 de outubro de 2011

A terra não é da flor.










A terra não é da flor.
Não falarei só de amor,
Nem muito menos da dor.
Quero sentir-me livre,
E a minha liberdade,
É faço sem arbitrariedade.

Minha pátria,
Essa não é minha.
A flor não é da terra
que em seu corpo enraízam.

Assim cultivo os campos,
Sem amor e sem dor,
Pois a minha liberdade,
É assim sem pátria alguma.

Sem pátria, sem rancor,
Digo não para a cor,
Dessa bandeira suja,
Sem amor e sem dor.
Digo sim para todas
As biodiversidades do amor.

Autor:
Mauro Henrique Soares Aniceto 
 27/10/2011









Um comentário:

  1. Olá meu amigo,não é rima andas sumido ksksks!
    Mauro belo desabafo reciproco acredito que a maioria dos Brasileiro.
    Um ótimo feriado, beijos no teu coração!

    ResponderExcluir

O tempo é curto para tantas administrações, ou são muitas
administrações para pouco tempo? Não deixe nada que de para ser feito no agora para depois. Escolha ser feliz! #minhafaceseuretrato